Introdução

Bruno Faria nasceu em Recife (PE), em 1981, vive e trabalha entre Recife e São Paulo. Mestre em poéticas visuais pela Escola de Belas Artes da UFMG, seus trabalhos partem de investigações relacionadas à contextos específicos, que são apresentados em diferentes mídias como instalação, intervenção, escultura, publicação ou outras mídias. Conceitualmente seu trabalho se relaciona criticamente com questões da cidade, do espaço público, da arquitetura e da paisagem, através de pesquisas históricas em arquivos e outros lugares. Em 2018 apresentou a instalação "Brasilia", na seção "Solo" da SP Arte. 

 

Born in Recife (PE, Brazil) in 1981, lives and works between Recife and São Paulo. Master in visual poetry at the School of Fine Artes of UFMG, his works originates from researches related to specific contexts, which are then presented in different media, such as installation, intervention, sculpture, publication and other media. His work’s concept relates critically to issues of the city, public space, architecture and landscape, by means of historical research in archives and other sources. In 2018, the artist presented the solo project “Brasilia” at SP Arte.  

 

Exposições coletivas selecionadas:  Há escolas que são gaiolas e há escolas que são asas, Museu de Arte do Rio – MAR, curadoria Paulo Herkenhoff e Janaína Melo (2014), Metrô de Superfície II, Centro Cultural São Paulo – SP, curadoria Bitu Cassundé e Clarissa Diniz (2013), 32˚ Panorama da Arte Brasileira, MAM – SP, curadoria Cauê Alves e Cristiana Tejo (2011).  Exposições Individuais: Assalto Olímpico, Centro Cultural São Paulo (2016) e  Onde Estão as Minhas Obras?, MAMAM (2017), curadoria de Clarissa Diniz. 

 

Selected Group Shows:  Há escolas que são gaiolas e há escolas que são asas, Museu de Arte do Rio – MAR, curated by Paulo Herkenhoff and Janaína Melo (2014), Metrô de Superfície II, Centro Cultural Sao Paulo, curated by Bitu Cassundé and Clarissa Diniz (2013), 32˚ Panorama da Arte Brasileira, MAM – SP, curated by Cauê Alves and Cristiana Tejo (2011).  Solo Shows: Assalto Olímpico, Centro Cultural São Paulo (2016) and Onde Estão as Minhas Obras?, MAMAM (2017), curated by Clarissa Diniz. 

Obras
Notícias